Assembleia-Geral Ordinária

Reuniu na Sede da CERCIFAF, no passado dia 30 de março 2013, a Assembleia-geral Ordinária cuja ordem de trabalhos incluía; 1) Leitura, apreciação e votação da ata da Assembleia-geral anterior; 2) Leitura, apreciação e votação dos Relatórios de Atividades e Contas e Parecer do Conselho Fiscal, relativos ao ano de 2012; 3) Ratificação do aumento de capital por admissão de novos Membros entre 01 de janeiro e 31 de dezembro de 2012 e respetiva alteração do artigo 6.º do Capítulo III “Do capital” a que se refere os Estatutos da CERCIFAF; 4) Período de meia hora para serem tratados assuntos de interesse para a instituição.

Lida e aprovada a ata, teve lugar a apresentação, por parte da direção, do Relatório de Atividades e Contas. 

Pela sua importância e porque reflete, de uma forma sucinta, todo o trabalho efetuado, transcrevemos extratos da Nota de Apresentação do Relatório:

“Em 2012, o Plano de Atividades e Orçamento foi muito difícil de construir pelas dificuldades financeiras dos últimos anos que todos conhecemos e pelas incertezas quanto ao financiamento dos serviços que prestamos.
Por essa razão, no ano que findou mantivemos como objetivo essencial assegurar as responsabilidades nos serviços protocolados com as diversas entidades, assegurar a qualidade dos serviços às pessoas que deles carecem e garantir o apoio às famílias que nos procuram.
Todos podem testemunhar as preocupações que fomos manifestando ao longo do ano e que nos levaram a tomar medidas de grande rigor. Hoje podemos dizer que foi um ano muito duro, com medidas nem sempre bem acolhidas, mas tiveram de ser tomadas por nos parecer que eram as mais adequadas para garantir a sustentabilidade da Instituição. E nesse propósito, tivemos o cuidado de partilhar essas preocupações com todos os trabalhadores e com os elementos dos Corpos Sociais da CERCIFAF.
Concluído o ano, e perante os resultados alcançados, podemos considerar que, apesar de todas as contrariedades, o empenho e persistência no caminho que traçamos valeram bem a pena apesar de continuarmos a olhar o futuro com muita prudência, sabendo que ainda nos esperam, a todos, anos muito difíceis.

Mas é bom lembrar que as melhorias e reduções aconteceram a muitos níveis, destacando aqui a contenção nos consumos de energia; redução de despesas de combustíveis; redução na despesa com encargos extraordinários; redução de admissões e substituições de pessoal; redução nas aquisições e fornecimento de serviços externos e redução até nos pequenos custos gerais.
No que respeita aos objetivos previstos no Plano de Atividades, podemos dizer que conseguimos executar a maior parte deles e alguns até com resultados bastante consistentes.

Do esforço de todos, podemos salientar numa síntese breve que a situação financeira está menos sombria e começamos a ter melhores perspetivas para gerir com toda a cautela o futuro que pretendemos construir.
Como terão oportunidade de constatar, os resultados financeiros são melhores, mais sustentados e mais equilibrados, mas nem por isso devemos abrandar as nossas preocupações.
Os resultados das atividades e serviços evidenciam uma consistente melhoria por verificarmos que não só o número de clientes atendidos se mantém elevado mas também porque o reconhecimento público nos permite crer que os serviços protocolados nas áreas da Segurança Social, Educação e Emprego, poderão ser mantidos ou até melhorados. Da nossa parte, estamos a fazer todos os possíveis para que isso aconteça.


Queremos salientar aqui o elevado nível de satisfação das famílias, dos clientes, dos empregadores e das entidades reguladoras e financiadoras. Ao contrário, o mais baixo nível de satisfação foi registado nos colaboradores sendo um resultado que se aceita, não esquecendo contudo que os compromissos assumidos de defesa do emprego foi a principal prioridade, e essa foi conseguida.
(…)
A todos os colaboradores, parceiros e amigos da CERCIFAF, queremos manifestar a nossa vontade de cooperação, esperando também que todos nos ajudem a consolidar os objetivos da Instituição, com as suas críticas e empenhamento, sem esquecer que os princípios e valores que sempre orientaram a CERCIFAF devem ser colocados acima de quaisquer outros interesses”.

A evidência do que antes focou dito, foi acompanhada pela projeção de relatórios e mapas que suportam e resumem as atividades elencadas.

Seguiu-se a apresentação das Contas, tendo estas sido explicitadas, através de uma aplicação multimédia que permitiu aos presentes acompanhar as diversas rúbricas que conduziram ao valor total dos Gastos (1.976.155,26 €) e dos rendimentos (1.987.556,22 €), o que originou um resultou líquido do exercício positivo de 11.400,96 €. De notar que, em 2011, o resultado do exercício foi negativo em 103.025,46 €. A inversão deste resultado radica no conjunto de medidas tomadas pela direção e de algumas receitas extraordinários que vieram quebrar um ciclo de dois anos de resultados negativos.

Após a leitura do Parecer do Conselho Fiscal, a Mesa colocou os Relatórios de Atividades e Contas à votação, sendo os mesmos aprovados por unanimidade, incluindo a proposta da direção para aplicação dos resultados líquidos do exercício na cobertura de prejuízos de exercícios anteriores.

Ratificada a alteração do capital pela entrada de novos Membros, passou-se ao ponto seguinte tendo sido aprovados um Voto de Louvor à direção e um Voto de Reconhecimento aos colaboradores da instituição, propostos pelo Conselho Fiscal.

Também a direção deu conhecimento de que tinha aprovado um Voto de Louvor e reconhecida Gratidão para os nossos Amigos Manuel Ribeiro Mendes e José Manuel Silva Salsa, cujo texto se publica na integra nesta edição. A Assembleia quis associar-se a este voto e manifestou-o através de uma imensa salva de palmas.

Arquivo ORG

| Página optimizada para uma resolução de 1360x768 ou superior. | Google Chrome v.22 ou superior. | Webmaster roger@cercifaf.pt |