Encontro de Empresários - 2003 (Intervenção do Presidente da Direcção)

Intervenção do Presidente da Direcção da CERCIFAF,

Dr. José Lino Barros Silva

Foto

EX.º SENHOR ADJUNTO DO GOVERNADOR CIVIL DE BRAGA - DR. Bruno Fernandes

EX.ª SENHORA SECRETÁRIA NACIONAL PARA A REABILITAÇÃO E INTEGRAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA - Dra. Cristina Louro

EX.º SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE FAFE - Dr. José Ribeiro

EX.º SENHOR DELEGADO REGIONAL DO NORTE DO INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL - Dr. Nuno Boticas

EX.ª SENHORA DIRECTORA DO CENTRO DISTRITAL DE SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL DE BRAGA - Dra. Filomena Bordalo

EX.º SENHOR REPRESENTANTE DA DIRECÇÃO DA FENACERCI - Dr. Rogério Cação

EX.ºs SENHORES EMPRESÁRIOS

MINHAS SENHORAS E MEUS SENHORES

 

Em 25 de Outubro de 1978, faz hoje precisamente 25 Anos, foi celebrada a escritura pública de constituição da “CERCIFAF - Cooperativa de Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas de Fafe”, lendo-se então nos seus estatutos que a Instituição tinha por objecto social, “a educação, reabilitação e adaptação da criança à sociedade, criando as estruturas necessárias para o efeito...”.

A história da CERCIFAF, a exemplo de muitas outras instituições, tem sido feita com o esforço e dedicação de muitas pessoas de boa vontade, que desde a primeira hora apoiaram carinhosamente esta obra feita de amor e de solidariedade.

No seu início, tratava-se de tentar resolver alguns problemas relacionados com o direito à escolaridade obrigatória.

Com o passar dos anos, as nossas preocupações orientaram-se no sentido da busca de respostas e soluções para o “atendimento personalizado, individualizando percursos e metodologias, no sentido de que cada pessoa portadora de deficiência pudesse ir o mais longe possível na formação para a cidadania”, sendo este um dos princípios orientadores da Instituição.

Os fundadores da CERCIFAF desde cedo sentiram a necessidade de envolver na concretização do seu projecto o maior número de pessoas, entidades e organizações, promovendo a colaboração de todos, como forma de poder beneficiar da partilha de novos conhecimentos e carrear importantes sinergias potenciadoras de significativos avanços técnicos e metodológicos, nas diversas áreas e valências do nosso desempenho.

Fomos percebendo que os desafios da Formação Profissional e o Emprego constituíam duas faces do mesmo processo, reforçando a convicção de que a integração profissional e social das pessoas portadoras de deficiência não poderia ser considerada uma utopia, mas antes um desafio consciente de que a integração de pessoas com défice intelectual nunca foi nem nunca será tarefa fácil.

É nesta linha de intervenção que assenta a visão da CERCIFAF, cuja missão consiste em apoiar a integração na vida activa e profissional de pessoas com deficiência, através de um conjunto de serviços de elevada qualidade, com estratégias de inovação em que as parcerias assumem particular relevância.

Daqui decorre a acção que hoje estamos a promover no âmbito das comemorações dos 25 Anos da CERCIFAF.

O “Encontro Nacional de Empresários”, faz parte de um conjunto de acções incluídas no Projecto MOLIS – “Modelo de Intervenção Local de Integração Social e Emprego de Pessoas com Deficiência”, projecto de implantação nacional que conta com a participação das seguintes entidades, cujos representantes se encontram entre nós, muito nos honrando com a sua presença:

-ARCIL – Associação para a Recuperação de Cidadãos Inadaptados da Lousã;

-APPACDM de Évora – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Évora;

-CERCIPENELA - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas de Penela; e

-CEERIA – Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça

 

A CERCIFAF, como entidade coordenadora deste Projecto, não pode deixar de saudar e agradecer aos representantes destas instituições, bem como aos senhores empresários das respectivas localidades que os acompanham, quer a sua participação nesta acção, quer principalmente todo o empenho e profissionalismo colocados no desenvolvimento do Projecto MOLIS.

A Homenagem e Distinção de Empresários assenta em critérios de “Boas Práticas”, no âmbito da formação e do emprego das pessoas com deficiência, em que os empregadores são considerados agentes imprescindíveis e influentes no processo de integração sócio-profissional.

Tem como finalidade sensibilizá-los no sentido de não só abrirem as empresas à admissão de pessoas com deficiência, mas também de estabelecer relações de parceria que façam com que o emprego destas assuma carácter duradouro.

Se tivermos em consideração que um dos caminhos para a cidadania passa pelo exercício de uma actividade remunerada, o emprego das pessoas com deficiência assume perante a sociedade uma nova dimensão.

Por razões culturais e históricas, a sociedade em geral está pouco habituada a ver no trabalhador portador de deficiência uma pessoa que deixou de ser subsídio-dependente, para assumir o papel de cidadão contribuinte, em paridade de circunstâncias com os demais trabalhadores.

É desejável uma mudança de mentalidades, a qual depende, em primeira linha, da multiplicação de experiências de sucesso, em que a integração profissional cada vez menos seja feita como situação de “favor” e cada vez mais numa perspectiva de reciprocidade de interesses.

Nesta linha, foi com muito orgulho que vimos alguns Empresários da área de influência do Centro de Formação e Emprego da CERCIFAF perfilarem-se entre os que receberam para as suas empresas o Prémio de Mérito instituído pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional, que teve como objectivo “distinguir as entidades empregadoras que em cada ano se destacam no esforço da integração profissional de pessoas com deficiência em mercado competitivo de trabalho, contribuindo para sensibilizar a classe empregadora em particular, e a sociedade em geral, para o direito ao trabalho deste grupo de cidadãos a quem em regra esse direito não é associado”.

Em apenas 3 anos, quatro empresas de Fafe foram agraciadas com um 3.º um 2.º, e dois 1.º Prémios de Mérito.

Também pensamos a preparação para a cidadania com qualidade de vida, razão pela qual estamos determinados em apostar, mais do que em novos projectos, numa nova atitude.

Neste sentido, tal como outras organizações congéneres, a CERCIFAF foi crescendo, ao nível de instalações, equipamentos e recursos humanos capazes de darem resposta às necessidades dos utentes, tendo sempre presente um grande rigor orçamental e a capacidade para gerir os projectos sem desvirtuar os objectivos.

Iremos continuar a desenvolver esforços para que possamos encontrar soluções com a finalidade de minimizar o sofrimentos das pessoas com deficiência e das suas famílias.

No contexto deste quadro de preocupações, estamos a repensar as estruturas de apoio aos jovens sem retaguarda familiar, designadamente melhorando as nossas residências, redimensionando-as e avaliando os actuais modelos de funcionamento, por forma a atingir os níveis de qualidade que pretendemos, com vista à melhoria das condições de autonomia e padrões de independência dos nossos jovens. Adquirimos recentemente, recorrendo a reservas da Instituição, dois terrenos cujo custo ultrapassou os 170 000 euros, um destinado a uma nova Unidade Residencial para 16 jovens e outra destinada à construção de um Centro de Actividades Ocupacionais.

Naturalmente que estamos a aguardar que o Estado português liberte meios financeiros para a concretização destes equipamentos sociais, no âmbito dos apoios previstos no III Quadro Comunitário de Apoio.

“Os cidadãos portadores de deficiência ou pertencentes a grupos de risco têm direito a um atendimento personalizado, no sentido de cada um ir o mais longe possível no pleno direito à cidadania”.

Porque acreditamos nestes princípios básicos dos nossos estatutos, tudo temos feito para que a participação, protecção e promoção dos direitos das pessoas com deficiência, constituam condições indispensáveis para o exercício de uma cidadania activa, no quadro de uma sociedade inclusiva, de igualdade de oportunidades e da não discriminação.

Já noutras ocasiões referi que, por feliz coincidência, no ano em que a CERCIFAF comemora as suas Bodas de Prata, a União Europeia deliberou institui-lo como o Ano Europeu das Pessoas com Deficiência. É um acontecimento de enorme importância, que tem vindo a ser objecto de várias manifestações no nosso país e noutros Estados Membros. Mas, sobre esta matéria, vamos certamente ter a oportunidade de ouvir a palavra da Ex.ª Sra. Dr.ª Cristina Louro, Secretária Nacional para a Reabilitação e Integração de Pessoas com Deficiência, entidade a quem compete coordenar a nível nacional o Programa das Comemorações do Ano Europeu.

Temos consciência que ao longo destes 25 anos muita coisa foi feita e bem feita. Tal só foi possível com a excelência da colaboração de muitas pessoas, de dentro e de fora da Instituição.

Estamos convictos de que tal como há 25 anos, vamos continuar a receber o apoio de todos, porque este projecto não é exclusivo dos seus responsáveis, mas antes sentido, apoiado e vivido pela comunidade.

Para terminar, gostaria de expressar os sinceros e justos agradecimentos a todos aqueles que de uma forma ou de outra muito têm contribuído para tornar possível os ideais daqueles que nos precederem, permitindo à CERCIFAF alcançar um estatuto reconhecido não só na comunidade local, mas igualmente acreditado no espaço nacional e comunitário a que pertencemos, facto que, noutras ocasiões o afirmámos, muito nos honra e responsabiliza.

Às Entidades Públicas, à Autarquia, aos Senhores Empresários, à Comunicação Social e a todos aqueles que nos honraram com a sua presente nesta Sessão Solene, o nosso sincero muito obrigado.

Fafe, 25 Outubro 2003.

Arquivo CFE

| Página optimizada para uma resolução de 1360x768 ou superior. | Google Chrome v.22 ou superior. | Webmaster roger@cercifaf.pt |